Pesquisar neste blog

17 de mar de 2011

Uma dura lição aprendida sobre gatos com acesso à rua


Traduzido do texto original disponível em:

"Tenho que começar esta mensagem com uma confissão difícil e dolorosa: Eu costumava deixar meus gatos perambulando fora de casa. Eu sou membro de carteirinha da PETA, sou vegana, e falo sobre defesa animal com qualquer pessoa que me dê ouvidos. Mesmo assim, eu deixava meu pequeno familiar peludo entrar e sair por uma portinhola - a qual deixei disponível para ele - por muitos anos.
Como a maioria das pessoas que pensam que gatos que ficam soltos são gatos felizes, eu não pensava nos perigos que os gatos que tem acesso à rua poderiam encontrar, como cachorros, outros animais, carros, portões de garagens e depósitos nos quais eles poderiam ficar presos, humanos que injustamente poderiam machucá-los, e a lista continua...
Uma manhã, eu levantei para fazer café e vi Orange, meu gato amarelo, sentado no meio do chão da cozinha. Ele perambulava fora de casa a maioria das noites no verão, e eu presumi que ele tinha acabado de voltar para casa para seu café da manhã. Mas ele parecia estranho. Ele estava apenas sentado lá, sem nenhum miado familiar e sem se enroscar na minha perna para dizer "bom dia". Olhando mais de perto eu percebi que sua boca estava estranhamente aberta e tinha baba e saliva em seu rosto todo. Eu entrei em pânico, pensando que ele havia sido envenenado, e corri com ele para um veterinário. Acabou que sua mandíbula havia sido quebrada. O veterinário disse que Orange poderia ter sido atropelado por um carro ou bateram nele com um pedaço de pau.
Eu fiquei devastada. A dor e o sofrimento de Orange eram minha culpa. E ainda ficou pior. A veterinária teve que imobilizar a boca de Orange para tentar cicatrizar a mandíbula quebrada - uma imobilização de 6 semana!
Eu fechei a portinhola permanentemente, mas o dano já havia sido feito. Por causa da dificuldade que Orange tinha para comer e beber através do pequeno espaço que ficava entre seus dentes, ele perdeu peso - muito peso. Ele também ficou desidratado, e como resultado, eu tive que administrar líquidos dando injeções subcutâneas uma vez por dia. Ele estava miserável.
Quando se passaram as 6 semanas, levei Orange de volta na veterinária para remover a imobilização. Em um dia sua mandíbula caiu novamente. A imobilização não funcionou - a mandíbula não havia cicatrizado. Orange teve que voltar para ser imobilizado novamente, por mais 6 semanas.
No final, tivemos que eutanasiar Orange. Ele tinha problemas renais quando sua mandíbula foi quebrada, mas estava sob controle, e ele tinha muitos anos à sua frente. Mas sem comer e sem beber líquidos o suficiente, as toxinas aumentaram, a perda de peso foi extrema, a depressão foi profunda e seu pequeno corpo não conseguia mais lutar.
Gatos são animais curiosos. Muitas pessoas sentem que os gatos precisam obter estímulos fora de casa. ERRADO! Seu gato pode ficar super animado perseguindo uma bolinha de papel alumínio pelo chão. Dêem uma olhada no livro 250 Things You Can Do to Make Your Cat Adore You, de Ingrid E. É um livro cheio de atividades divertidas que você e seu gato podem aproveitar juntos dentro de casa - além de uma grande quantidade de informações para ajudar você e seu gato a compartilharem uma vida longa e saudável juntos.
Existem algumas cidade pelo mundo que estão implementando toque de recolher para os gatos. Leis proibindo completamente que os gatos saiam de casa estão sendo debatidas. Gatos que saem de casa são colocados em risco todas as vezes que suas patinhas encostam na calçada, e nós estamos vivenciando uma super população de animais de tal tamanho que milhões de animais vem sendo eutanasiados em abrigos no mundo todo. Muitos desses gatos desabrigados são fruto de gatos não castrados que foram deixados zanzando fora de casa.
Eu aprendi da maneira mais difícil a não deixar meus gatos irem para rua. Eles são como crianças pequenas, suscetíveis a todos os tipos de perigos. Eu não conheço ninguém que deixaria uma criança de 2 anos de idade perambulando nas ruas, dia ou noite, sem supervisão.
Por que nós perpetuamos o mito de que gatos são miseráveis quando mantidos dentro de casa? E por que nós arriscamos causar dor - ou até mesmo a morte - daqueles que nós mais amamos?"

Um comentário:

  1. vc tem um coração muito bom. nem todas as pessoas pensan asim. deus vai te recompensar. por isso.

    ResponderExcluir

RECEBA POR EMAIL