Pesquisar neste blog

27 de mar de 2011

E mail recebido de uma voluntária do Campo de Santana - Rio de Janeiro/RJ

Boa tarde Márcia,
Estive no Campo 5ªf e fiquei estarrecida com td. Lixo acumulado, doenças, mal-cheiro, escassez de comida, de água, má-vontade, desinteresse, grosseria, maus-tratos... realmente aquilo me pareceu um Campo de Concentração.
Mas o q muito me chamou a atenção foi o crescimento absurdo de cotias e patos. A população de cotias tvz esteja  chegando ao nº dos felinos. Estão machucadas (animais machucados chamam mais moscas)e ouvi até q havia uma com miíase_brigas de territorio são frequentes quando há muitos machos em uma área pequena. Tinham vários patos tossindo e nos faz pensar em gripe aviária, um gde problema de saúde pública mundial.
Nesse caso, já q a proteção e a defesa é animal, no caso da SEPDA, onde está o controle populacional destas espécies? 
Não seria o caso de uma redistribuição em áreas de mata atlântica e manguezais, já q elas são preferencialmente herbívoras, não sofreriam com a falta de alimento. 
Os patos, idem, se alimentam de sementes, pequenos animais aquáticos e insetos ou poderiam ser inseridos em hóteis-fazenda. Soube q a um tempo atrás algum especialista levou e realojou alguma cotias, e deu certo, ajudando inclusive no reflorestamento da mata.
Digo isso pq os felinos, eu vi, saem em desvantagem na hora de disputar comida pq são animais domésticos. Vi ração sendo jogada no chão como se aqueles gatos fossem galinhas, e os pobres dos gatinhos não conseguem se alimentar com o mínimo q deveriam ter pq as cotias e os patos avançam e os assustam. Os filhotinhos então não tem a menor chance.
Vi um gatinho comendo a excreção de um pato, exatamente onde se encontrava o bolo de ração felina que foi ingerido. Horrível, não?! Imagine vendo! E isto foi na porta da "enfermaria"!!!!
Consequentemente vi muitos filhotes já desmamados, pele e osso, pavoroso! Muitas jovens de 1º cio já prenhas, muitos adultos q não chegaram aos 2 anos e filhotes q na sua maioria não chegaram aos 6 meses. Uma coisa é consequência de outra.
Voltando ao assunto dos excedentes, cotias e patos, parece q a Fundação alimenta as cotias com frutas, então, ou a alimentação delas é pouca ou está errada. E os patos? No fim tds estão mal alimentados e doentes. Podendo inclusive, quem sabe, as cotias e os patos estarem passando alguma doença para os felinos.
Vc como especialista em Direito Ambiental, o q acha, como vê esta situação, dá para tentar fazer algo no coletivo, pensar macro, harmonizar  quantitativamente a população de animais q lá vivem? 
Nós nos mobilizamos em favor dos felinos, quem, q entidade poderia dar uma prensa na SEPDA/Prefeitura sobre as outras espécies até mesmo convidar para ver de perto esta situação?
Att.
Cleide Amorim

ESTAMOS FORMULANDO A DENÚNCIA ATRAVÉS DE UMA CARTA AO VEREADOR JOSE EVERALDO (PMN) QUE ESTÁ ABRAÇANDO A CAUSA ANIMAL NA CÂMARA DO RIO DE JANEIRO. DIA 30 DE MARÇO SERÁ A ABERTURA DO FÓRUM PERMANENTE E DEVEMOS ESTAR REPRESENTADOS NO EVENTO. 

Já fizemos denúncias na COMLURB e na Câmara dos Deputados para Aspásia Camargo, publicado no blog.

Nada impede que ações autônomas sejam tomadas entretanto unir forças para exigir as ações dos gestores públicos tendem a ter melhor repercussão.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

RECEBA POR EMAIL