Pesquisar neste blog

20 de fev de 2017

ANIMAIS CADEIRANTES: Hani e Eu um caso de amor ao primeiro olhar!

Quem resiste a este olhar?
HANI, julho/2012 1ª foto 5 meses
Nascimento presumido  18/02/2012
Hoje trago a minha história de amor e respeito ao HANI, um gatinho que acaba de completar 5 anos.

Hani foi resgatado em maio/12 no aeroporto de Jacarepaguá se arrastando e com uma pata destruída pelo movimento e atrito com o chão.

Chegou ao Projeto O Gato Carioca em julho/12 aos 5 meses, foi imediatamente submetido aos exames de sangue,Testes FIV e FELV, RX, Ultrassom. Foi internadoe operado no dia seguinte, tinha duas hérnias caisados possivelmente por um chute. Não havia nenhuma fratura. Seu dentinho canino trocou e caiu nas minhas mãos dia 18/07/12 quando retornou da cirurgia.


Sou um tripata paraplégico e muito MIMADO!



Antes de chegar as minhas mãos teve uma pata amputada e seu destino seria a MORTE, sim EUTANÁSIA era o caminho escolhido quando um pedido de ajuda por ele chegou na cx de email.
Na avaliação do veterinário ele não teria qualidade de vida para sobreviver. SERÁ QUE NÃO?!


Seus olhos de SOCORRO me comoveram e pedi para trazer no dia seguinte quando assumi o caso que a principio seria colocado para adoção...não resisti ao seu charme e até hoje vivemos uma relação de muito amor.







Uso tapete higiênico para ele dormir na caminha.
Com a ajuda de uma rifa e amigas, Hani foi levado a dois especialistas em ortopedia,  o diagnostico era lesão de L1 ou L2, significa dizer: Paraplégico, amputado e foi preservado, por ser uma lesão baixa, o controle das fezes e urina de forma natural. Ele faz tudo sozinho, sem estímulo ou manobras intestinais ou bexiga porém no chão, em qualquer lugar. O que fazer quanto a isso? NADA, limpar a casa mais de uma vez por dia.







FRALDAS: nunca foram usadas pois na maioria dos casos, causa infecções secundárias que leva o gatinho a óbito!

LIMPEZA: tudo deve ser neutro, ele se arrasta na casa toda e qualquer bactéria pode ser fatal.


Minha cadeirinha

CADEIRA DE RODAS: isso é um capítulo a parte. Hani tem a sua cadeirinha que é usada RARAMENTE, quando o levo no terraço do prédio. Uma cadeira não devolve as pernas e a mobilidade ao animal 24h/dia. Vejo muitos pedindo cadeiras para devolver esta habilidade porém em cães é usada para PASSEAR NA RUA, não para usar diariamente o tempo todo. Em gatos muito difícil a adaptação mas se for usar deve ser local seguro, onde ele se sinta tranquilo e por pouco tempo, estou falando de 5/10 min no máximo.



ASSEIO DO ANIMAL: Diariamente uso lenço de baby e a cada dois dias ele toma um banho de asseio, não dá para deixar o gato urinado por mais que ele faça sozinho recai sobre o corpinho e pata.

FERIMENTOS OCASIONAIS: Como se arrastam é normal que se forme feridas na parte do corpo que se arrasta, uso BEPANTOL, limpo diariamente. Uso gaze cirúrgica que não adere a ferida e prendo na patinha com esparadrapo microporo.

ALIMENTAÇÃO: normal, ração seca e pastosa. É importante dar uma ração pastosa como forma de ajudar no processo da digestão mas sem exageros, senão dará diarreia e a sujeira no gato e na casa será ainda pior.

MEDICAÇÃO: Hani não usa nenhum medicamento. Teve aos 2 anos uma infecção urinária leve, nunca mais teve nada. Tratado com ração URINARY por 2 meses e medicamento por uma semana.

ADAPTAÇÃO DA CASA: PISO cerâmica lisa sem atrito e/ou piso laminado PVC, aqui tenho os dois.

No mais ele é um gatinho feliz dentro das suas limitações faz tudo que qualquer outro faz.

Quando posso o levo para viajar e ele adorou o primeiro contato com a grama e o sol em seu corpinho. Vive na janelinha seu lugar preferido, onde foram feitas adaptações para ele.

Hani ama os amigos passarinhos com quem fala diariamente.

Se vc pretende adotar um gatinho ou cãozinho com necessidades especiais avalie antes se você terá:
1)  condições financeiras; 
2) amor incondicional e paciência;
3) condições de se adaptar as suas necessidades;
4) condições de  adaptar o ambiente; e
5) tempo para se dedicar a ele!


Adotar e devolver e uma rejeição muito sofrida para eles que pensavam ter encontrado um lar.

Eu adorei esse sol
Posso passear na graminha mamãe!




No frio uso roupinha listrada de tricot.
Eu e mano Leon que partiu pro céu em nov/16.
Ele faz muita falta pra mim, era carinhoso com todos.

15 de fev de 2017

SEBORREIA EM FELINOS

COMO CUIDAR!

CUIDADOS FELINOS: Batatinha que é super fofo e gordo por genética, tem uma caspinha pelo corpo. Na primeira vez que vi fiquei preocupada mas tanto ele quanto Frida são gatos Big Plus Size, o curioso é que comem pouco mas ficaram com 9 Kg/média. 

O QUE ACONTECE ENTÃO? Uma seborreia. Ocorre em animais que não se lambem, ou se lambem insatisfatoriamente. A descamação natural da pele se acumula nos pelos principalmente próximo a região do tronco/rabo. 

COMO ACABAR COM ISSO OU MINIMIZAR? Capriche nas escovadas e verifique junto ao veterinário se há falta de vitaminas que podem agravar o caso. #ficaadica #ogatocarioca ESCOVAR DIARIAMENTRE SEU GATO SEJA ELE DE PELOS LONGOS OU CURTOS!

Por: Márcia Lima
FRIDA  5 ANOS




BATATA 3 ANOS

RECEBA POR EMAIL