Pesquisar neste blog

20 de fev de 2013

INFECÇÕES CUTÂNEAS


Me deparei esta semana com uma situação difícil. Dois de nossos gatinhos manifestaram infecções cutâneas diferentes, porém possivelmente de mesma origem: stress!
Pesquisando na internet, com amigas e veterinários, buscamos um tratamento que , certamente, vai demandar tempo e dedicação. 
A solução é enfrentar esta fera - o fungo!
Há poucos meses atrás, tratando de uma ninhada resgatada, todos nós que de alguma forma manipulamos os animais fomos contaminadas pelo  Microsporum canis, nada que medicamento adequado não cure, porém, nos gatos o processo foi longo!
O ambiente é limpo diariamente com produto próprio devido a um de nossos gatos ser especial e necessitar, por se arrastar, defecar e urinar em vários locais, de um piso altamente limpo. No ambiente não há tapetes e paninhos, as camas, cobertores e almofadinhas são lavadas semanalmente e esterilizadas. Apesar de tudo isso o fungo se manifestou e só nos resta triplicar a higienização e desinfectação do ambiente.
Informação nunca é demais, então vamos a ela.

Infecção cutânea ou dermatose, é causada por um fungo que vive na queratina: na pele, cabelos e unhas. Os felinos são infectados basicamente por três tipos de fungos, 

  1.  Microsporum canis sem dúvida o mais comum causador de Infecções cutâneas nos felinos.
  2.  Trichophyton mentagrophytes normalmente contraído através de contato com roedores.
  3.  Microsporum gypseum/fulvum normalmente contraído através de contato com esporos na terra.
PROPAGAÇÃO
São contraídas através de contato com outro animal infectado ou através do contato com esporos ativos de fungo, denominados Arthrospores. 
Quando ocorre a contaminação, novos envoltórios de esporos começam a ser produzidos e podem ser localizados ao redor das áreas afetadas (fios de cabelo, pele ou unhas). Estes esporos se espalham pelo ambiente podendo ser encontrados nos tapetes, mobília, na cama do animal e até mesmo em filtros de ar e, como são muito resistentes, podem viver até 18 meses.

Como resultado destes fatores o tratamento para infecção cutânea deverá incluir uma limpeza completa da casa para a libertar de qualquer esporo que possa reinfectar você ou seu gato. A limpeza pode ser realizada com cloro diluído na proporção de 5% ou com alguma solução alvejante e deverá incluir toda a mobília e tapeçaria. Após a limpeza dos tapetes os retire e guarde até que tenha havido o controle do fungo e sempre depois de utilizar o aspirador de pó (com sacos descartáveis) se livre imediamente da sujeira aspirada em um saco plástico hermeticamente fechado. Se possível, jogue fora qualquer roupa de cama, brinquedos, etc. do animal pois, poderão estar contaminados e, caso isto não seja possível, tenha certeza de os limpar muito cuidadosamente com a solução de desinfetante mencionada.

Além de ser bastante contagiosa entre gatos (e também cachorros) os fungos também podem ser transmitidos aos humanos e esta taxa de infecção vem subindo nos últimos anos. Se seu animalzinho está com infecção cutânea, você tem que tomar certas precauções para se proteger, como usar luvas para acariciar e tratar dele e usar um avental sempre que for lavá-lo.

COMO SE MANISFESTA?
Gatos que não apresentam nenhuma manifestação visível de infecção poderão ser portadores assintomáticos, assim, se você tem múltiplos gatos (ou outro bichinho) e um deles está com infecção cutânea aparente e os outros não, é aconselhável que os demais sejam avaliados, por cautela. As infecções cutâneas geralmente são vistas em filhotinhos antes que o seu sistema imunológico esteja completamente desenvolvido ou em adultos que tiveram sua imunidade comprometida devido a algum stress, doença ou distúrbio. Alguns sinais poderão ser observados em animais contaminados: 
  •  Perda de pêlo em padrões circulares
  •  Perda de pêlo em padrões irregulares
  •  Pele Escamosa
  •  Vermelhidão ou coceira
  •  Deformidade nas unhas e garras

 em 3 dias...
 GATO A manifestação no dorso (Foto: o Gato Carioca)

  
GATO B manifestação na orelha, parte interna e externa com queda de pelo. (Foto O Gato Carioca)

Infecção cutânea é freqüentemente uma doença auto-restritiva, o que significa que poderá desaparecer por si mesma dentro de alguns meses. Caso o gato não esteja com o sistema imunológico estabilizado, medicamentos podem utilizados a fim de agilizar a recuperação e prevenir a propagação do fungo.

COMO DETECTAR?

Se há suspeita de uma infecção cutânea,  leve imediatamente ao veterinário. 
Testes que podem ser realizados:
Teste da Lâmpada Ultra-Violeta, onde uma amostra de pelo, pele ou unha é colocada debaixo da luz ultra-violeta em uma sala escura. Áreas infectadas com Microsporum canis podem se tornam de uma cor "verde fluorescente", somente o Microsporum canis muda de cor debaixo da luz ultra-violeta e outros fungos não.
Exame direto no pelo ou pele debaixo de um microscópio. Requer um especialista experiente para fazer o exame pois os fungos são bastante pequenos e às vezes são difíceis de se distinguir. O modo mais seguro para diagnóstico é realizar uma pequena esfoliação da pele e submetê-la a um teste laboratorial em que uma substância é acrescentada à cultura fazendo-a mudar de cor caso existam fungos, o único problema é que este teste demora em torno de 14 dias para ficar pronto.

TRATAMENTO
O tratamento é normalmente realizado através da aplicação de soluções antifungicidas tópicas ou medicamentos orais. 
Recentes descobertas mostram que medicamentos orais, com posologia e composição determinada de acordo com a severidade da infecção e do estado do animal, trabalham melhor para tratar e inibir a expansão da doença. 
Também podem ser usados banhos medicinais ou de imersão, sprays e shampoos apropriados. 
Seja paciente porque se seu bichinho pegar infecção cutânea, um tratamento bem sucedido para livrar completamente seu gatinho da doença poderá levar semanas ou até mesmo meses. 
O único modo para ter certeza de que seu gato está curado é através de novos testes feitos por seu veterinário. 
Fique atento ao risco de infecção em si mesmo ou outro animal em sua casa.

Lembre-se de esfregar delicadamente as áreas afetadas para remover tantos esporos quanto possível sem lesar a pele do animal. Aspire os locais onde o gato costuma permanecer mais tempo pelo menos 1 vez por dia (se livrando dos dejetos do aspirador) e limpe com um pouco de alvejante em um pano em seguida. Dê banho de 3 em 3 dias em seu bichinho e lave os panos ele onde costuma deitar, de preferência com água quente. Geralmente, quando existe somente 1 ou 2 áreas lesadas o tratamento é realizado com creme ou loção anti-fungos prescrita pelo veterinário e quando as lesões são múltiplas o tratamento e feito via oral. Se seu gato tem o sistema imunológico afetado (por exemplo, pela leucemia felina) o tratamento será muito mais difícil e, no caso de filhotes, a dificuldade decorre do fato do sistema imunológico deles ainda estar imaturo.

Prevenção
Manter seu gato em um ambiente limpo e longe de outros gatos ou animais que possam estar infectados. Além disso, se seu gato manifestar infecção cutânea tenha certeza de limpar completamente sua casa e de o manter afastado de outros animais, caso existam.

Obs.: Vem sendo comercializada no Brasil desde meados  de 2007, a VACINA Biocan M.

Fonte: <http://www.gatitos.com.br/fungo.htm>, acesso em 19.02.2013 23:30h.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

RECEBA POR EMAIL