Pesquisar neste blog

21 de fev de 2012

PIF x Colangite Linfática: sintomas parecidos doenças diferentes!

A peritonite infecciosa felina é uma doença viral causada pela infecção por um coronavírus. O coronavírus é muito prevalente, sobretudo em animais jovens e em colônias de gatos, mas na maioria dos casos provoca apenas sinais clínicos ligeiros como uma diarreia passageira. Menos frequentemente, este coronavírus pode sofrer uma mutação, passando a designar- se por vírus da peritonite infecciosa felina (PIF) provocando uma doença fatal.
Tigrinho foi resgatado na Ig. da Penha,
levamos para ver porque estava se arrastando mas chegamos tarde.
Diagnóstico PIF e Tigrinho fez sua escolha, nos deixou!
   A transmissão ocorre por contato com fezes contendo o vírus. Por isso, o risco de transmissão do coronavírus é maior em colônias de gatos que partilham os mesmos recipientes para defecar. O vírus invade o intestino e entra na circulação sanguínea. Um sistema imunitário ineficaz não controla a multiplicação do vírus, resultando na inflamação dos vários tecidos do organismo.
   Existem duas formas de apresentação da doença. A mais comum é a forma úmida, na qual o vírus provoca uma inflamação dos vasos sanguíneos que conduz à saída de líquido dos vasos para as cavidades corporais. A acumulação de líquido no abdômen provoca distensão (barriga de água) e no tórax provoca dificuldade respiratória. Além destes sinais clínicos, é frequente ocorrer febre intermitente e outros sinais inespecíficos como falta de apetite ou perda de peso.
   Na forma seca os sinais clínicos podem ser mais vagos. Podem surgir lesões inflamatórias cronicas (granulomas) no sistema nervoso central, provocando desequilíbrio na marcha, lesões oculares, lesões hepáticas provocando icterícia, lesões renais e outras, dependendo do órgão afetado.
   O diagnóstico desta doença realiza-se reunindo dados referentes à história, sinais clínicos, e resultados laboratoriais. Não existe nenhum teste laboratorial que permita ter certezas. Apenas a análise histopatológica (biópsia) dos tecidos afetados permite detectar com toda a certeza a presença de PIF. No entanto, a recolha destas amostras não é prática, visto que implica uma cirurgia exploratória para biopsias de vários tecidos de órgãos.
   Infelizmente, o PIF é uma doença progressiva e fatal. Não tem tratamento específico. Uma vez diagnosticado, o objectivo é um tratamento paliativo e de suporte. Podem ser usadas medicações imunomoduladoras e anti-virais.
   Por fim, existe outra doença que pode mimetizar os sinais clínicos de PIF, com derrame abdominal (em que o líquido tem características semelhantes) e icterícia. É a colangite linfática que afeta o fígado e o diagnóstico é feito por biópsia hepática.

Fonte: PIF e doenças hepáticas:


Nenhum comentário:

Postar um comentário

RECEBA POR EMAIL